Boxeador ‘ensina’ homens em isolamento a bater em mulher e é multado em R$ 100 mil

Do Hypeness.

700-63O boxeador britânico Billy Joe Saunders publicou um vídeo no início da quarentena de coronavírus ‘ensinando’ homens a agredirem suas mulheres que discutissem com o cônjuge durante o isolamento social. Ele foi suspenso da prática do esporte pelo Conselho Britânico de Controle de Box e em seugida multado em  15 mil libras esterlinas (ou 100 mil reais). O incentivo à violência doméstica foi duramente criticado nas redes sociais.

No vídeo, publicado em suas redes, Saunders aparecia espancando um saco de pancadas próprio para a luta e fazendo afirmações como “Se sua ‘patroa’ está enchendo o saco e você tenta ser paciente”, disse o boxeador. “Depois do sexto dia você está prestes a explodir”, completou, desferindo socos no aparelho de prática do esporte. Ele incentivou agressões contra a mulher na quarentena e foi suspenso da prática do esporte.

O conselho de ética do esporte suspendeu o atleta, afinal, as artes marciais não devem ser utilizadas para violência doméstica. Ele se desculpou a reiterou que o vídeo foi um ‘erro bobo‘ e agora a sua multa será revertida para instituições de caridade. Não se sabe se as organizações-destino têm como fim a redução da desigualdade de gênero ou o combate à violência contra a mulher.

É importante relembrar que, ao menos no Brasil, os casos de violência doméstica estão em ascensão desde o início da quarentena. Em março, o estado do Rio de Janeiro registrou um aumento de 50% no número de denúncias de violência doméstica. Segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o número de relatos de brigas entre casais aumentou em mais de 400% no Twitter.

Não faltaram casos de mulheres em situação de cárcere privado durante a quarentena. Além disso, o confinamento dificulta as denúncias e o Disque 180, específico para denúncias de violência doméstica, existe uma subnotificação nos casos (números caíram 8% nacionalmente).

A atitude de Billy Joe Saunders é um reflexo da masculinidade frágil, do mal uso do esporte e evidencia uma situação real que mata mulheres todos os dias no planeta. Instituições feministas do Reino Unido julgaram que a pena para o pugilista foi insuficiente.

10 publicidades machistas que não veríamos hoje em dia

Há desde peças em que homens aparecem agredindo mulheres até outras em que elas aparecem como más motoristas

Bateram o carro? Só poderia ser uma mulher dirigindo… Abrir uma lata? Elas não conseguem… Limpar a casa? Ah, isso é com elas! Não tem café fresquinho? Ah, vão ter de ser castigadas! Ela deixou o almoço queimar na panela? Ufa, pelo menos a cerveja estava na geladeira.

Coisas como essas acima parecem absurdas (e realmente são!) nos dias de hoje. Há algumas décadas, entretanto, eram muito comuns. Tão comuns na vida cotidiana que ficaram registradas na história também pelas mãos da publicidade.

Veja abaixo algumas peças que divulgaram vários produtos antigamente e hoje, definitivamente, jamais poderíamos ver por aí.

Não tinha café fresquinho? Era esse “carinho” que o anúncio sugeria!

“É sempre bom ter uma garota cercando a casa”

“Não se preocupe, querida, você não queimou a cerveja!”

“Coloque-a onde ela merece”

“Os chefs fazem tudo, mas cozinhar, ah, para isso as mulheres foram feitas!”

Se naquele tempo se comemorasse o 8 de março, talvez vocês ganhassem presentes como esses, meninas!

Que tal uma propaganda do Ministério da Saúde dizendo que, embora pareçam limpas, algumas garotas têm Sífilis e Gonorreia, e por isso vocês, rapazes, precisam tomar cuidado com elas?

“Você pensa que uma mulher é capaz de abri-lo?”

Houve um tempo em que os homens compravam carros pensando em quão resistentes eles seriam aos acidentes causados por suas esposas…

Pronto, meninas: qual dos presentes acima vocês gostariam de ganhar? Ops! Brincadeira! =)

Muito interessante a discussão feita aqui: