Pela primeira vez, modelo ‘tradicional’ de família já não é maioria no Brasil | Pragmatismo Político

Formação clássica ‘casal com filhos’ deixou de ser maioria no Brasil: segundo o IBGE, representa 49,9% dos domicílios, enquanto outros tipos de famílias já somam 50,1%

tradicional família brasileira

Pai, mãe e filho já não reinam mais nos lares brasileiros.

A família brasileira se multiplicou. O modelo de casal com filhos deixou de ser dominante no Brasil. Pela primeira vez, o censo demográfico captou essa virada, mostrando que os outros tipos de arranjos familiares estão em 50,1% dos lares. Hoje, os casais sem filhos, as pessoas morando sozinhas, três gerações sob o mesmo teto, casais gays, mães sozinhas com filhos, pais sozinhos com filhos, amigos morando juntos, netos com avós, irmãos e irmãs, famílias “mosaico” (a do “meu, seu e nossos filhos”) ganharam a maioria.

O último censo, de 2010, listou 19 laços de parentesco para dar conta das mudanças, contra 11 em 2000. Os novos lares somam 28,647 milhões, 28.737 a mais que a formação clássica.

Essa virada vem principalmente com a queda na taxa de fecundidade. Em 1940, a mulher tinha em média seis filhos, hoje tem menos de dois, fazendo a população crescer mais devagar e ficar mais velha.

Fonte:  Pragmatismo Político.

 

Minha observação:  lembrando que “tradicional” significa: um modelo burguês construído nos séc. XVIII e XIX, uma vez que antes disso houve tantas formas DIFERENTES de família qtas foram as civilizações e mesmo na “judaico-cristã-ocidental” há uma variedade enorme de arranjos de pessoas a q demos o nome genérico de “família”…..